estreias e batizados marcam dia da vela em Enoshima

Gêmeas maranhenses são armas do rugby nacional na Olimpíada
julho 16, 2021
Pedro Veniss entra na equipe de saltos do hipismo
julho 16, 2021


Os velejadores do Brasil colocaram os barcos na água da raia olímpica de Enoshima (Japão) pela primeira vez nesta quinta-feira (15). Além dos treinos para a Olimpíada, aconteceram os tradicionais batizados das novas embarcações.

Inspirados pela cultura japonesa, Gabriel Borges e Marco Grael, da classe 49er, escolheram o nome Katana (a tradicional espada samurai). “Esse primeiro dia serviu para sentirmos se tudo que montamos estava certo. O barco cortou a água como gostaríamos para seguirmos em busca do ouro”, afirmou Gabriel Borges.

Madrinha do batizado do Katana, a campeã olímpica Martine Grael revelou também o nome da embarcação com a qual buscará mais um ouro olímpico. Tsuru é uma ave sagrada do Japão, símbolo de saúde, boa sorte, felicidade, longevidade e fortuna. E tsuru também é um origami clássico da cultura japonesa.

O nome do 470 de Henrique Haddad e Bruno Betlhem remete ao documentário The Last Dance, sobre os bastidores da era Michael Jordan no Chicago Bulls e a última temporada do astro na NBA. Os Jogos de Tóquio serão os últimos com a participação dessa classe entre os homens. Já Gabriela Nicolino e Samuel Albrecht resolveram nomear o Nacra 17 como Vitória II. A disputa olímpica da vela começa no dia 25. O Brasil tem 13 competidores na luta pelas medalhas.





Fonte Agência Brasil

Compartilhe agora