A palavra convence, o exemplo arrasta! 

Todo ponto de vista é a vista de um ponto! Por João Lucon

Todo ponto de vista é a vista de um ponto! Por João Lucon

             Atribuída a Confúcio (500 a. C.), pensador e filósofo chinês, a frase: “A palavra convence, o exemplo arrasta” continua extremamente direta quando pensamos na sociedade contemporânea.
           O mundo mudou e consequentemente as relações sociais, organizacionais, pessoais, familiares, econômicas, educacionais e tecnológicas também mudaram, inclusive no ambiente escolar, local ontem todas essas relações encontram-se abarcadas.
           Dentro desse ambiente escolar, além das crianças e jovens, exitem outros atores fundamentais que a consolidação de competências e habilidades dos educandos seja integral. Pais, avós, professores, coordenadores, gestores e funcionários convivem diariamente com seres em processo inicial de auto- descoberta.
           Gestores, professores e coordenadores se acostumaram aos clássicos relatos das famílias referentes as orientações verbais, que soam como mantras, mas parecem ser recitados no vácuo. Desde de miúdos somos acostumados a seguir exemplos, imitando as ações de nossos pais, irmãos mais velhos e outros adultos com quem convivemos.
           Crianças e jovens aprendem por meio da observação, por isso, é fundamental que o discurso de seus tutores familiares e escolares esteja alinhado a suas ações. Essa conduta deve estar presente em pequenas atitudes diárias, como lavar as mãos antes de comer, ou não usar o celular à mesa, se isso é exigido deles.
           É evidente que crianças e adolescentes precisam se acostumar a viver em um mundo com regras, muitas delas obrigatórias. No entanto, é preciso que a própria criança ou adolescente seja capaz se impor algumas regras próprias, fato que oportuniza a aquisição de consciência de si mesmo.
           Assim, vão sendo construídos os hábitos e maneiras de agir: através da observação da postura, da conduta, das atitudes, do comportamento dos pais, irmãos e avós no ambiente familiar e de professores, gestores, coordenadores, funcionários no ambiente escolar.
           Ser exemplo é ser inspirador! É fazer com que as crianças e adolescentes te olhem e te admirem. Ser inspirador é mostrar que por trás das suas palavras, dos seus gestos, dos seus pensamentos há postura, conduta e atitude alinhada ao seu discurso.
           Ser exemplo é, portanto, ser responsável. É saber que a sua vida está conectada com a vida de seres em fase inicial de autodescoberta.
           Portanto, senhores pais, avós, irmãos mais velhos, professores, gestores escolares e funcionários sejam responsáveis. Sejam exemplos inspiradores! Porque a palavra convence, mas o exemplo arrasta!

João Lucon, Professor, Diretor Escolar, Químico, Budista, Corredor e Triatleta.
Instagram: @joaolucon